Serviços

Sobre o Espaço

O Espaço Cultural Correios Niterói funciona nas dependências do Palácio dos Correios, na Avenida Visconde do Rio Branco, 481, no Centro da cidade, em frente à estação das barcas

Mais sobre o espaço

O Palácio dos Correios de Niterói é resultado de vários fatores que impulsionaram a construção do prédio. O Decreto nº 7.653, de 11/11/1909, estabeleceu o novo Regulamento da organização, que tinha como uma das metas construir sedes novas dos Correios nas capitais dos Estados. 

Em Niterói a decisão pela construção de um novo prédio também foi influenciada pelo movimento de um grupo representativo da cidade que levou ao presidente da República, Hermes da Fonseca, um abaixo-assinado reivindicando que a cidade dispusesse de uma dependência com melhores condições para o funcionamento do correio. Até então o serviço era prestado num imóvel precário e pequeno, localizado ao lado da estação das barcas.

Na capital federal, Rio de Janeiro, após receber a representação niteroiense e avaliar o pedido, o presidente determinou que a União adquirisse um terreno nas imediações da estação das barcas e nele construísse um prédio próprio para ser correio. O terreno escolhido estava localizado do outro lado da via onde ficava o correio na época.

As plantas do prédio são datadas de 1910 e da autoria do arquiteto italiano Antônio Vannine. A obra foi realizada pela construtora Leopoldo Cunha e Cia. Em 14 de novembro de 1914 o prédio foi inaugurado. A imponência da construção, a altura do prédio comparada a dos imóveis do entorno e sua exuberância arquitetônica deu-lhe o título de Palácio dos Correios.

O Palácio sempre serviu para o funcionamento das repartições postais e telegráficas. Inclusive, a antiga sede da Diretoria Regional dos Correios do Estado do Rio de Janeiro. A partir de 2007, e por sete anos, o prédio ficou fechado para obras de reforma e restauro e a sua reabertura aconteceu em 21 de março de 2014, ano de comemoração do centenário do Palácio. No primeiro pavimento foi exibida a exposição “Aqui Mesmo – Niterói vista pelas lentes de Pedro Vasquez”, com 50 fotos de pontos conhecidos da cidade. O objetivo foi de apresentar ao público uma das atividades que seriam realizadas no prédio com a inauguração do Espaço Cultural.

Além da reforma completa da estrutura do prédio, houve o restauro de toda a fachada e de vários elementos dos ambientes internos, como portas, janelas, piso de madeira, escada central, corrimão etc. O investimento dos Correios foi à ordem de R$ 16 milhões.

Uma das salas, localizada no segundo pavimento, foi completamente restaurada. Nela o visitante pode apreciar as características originais do interior do prédio. Várias camadas de tinta foram retiradas até se chegar às cores e desenhos originais que ornamentam as partes inferior e superior das paredes e do teto. As portas de madeira são originais, bem como o piso de madeira Peroba.

Nessa sala histórica estão expostas duas plantas arquitetônicas, vários ladrilhos hidráulicos cujos modelos são encontrados nos pisos de circulação interna, alguns adornos da fachada e um conjunto de forma que produziram as escamas de cobre das cúpulas das torres do Palácio.

Espaço Cultural Correios

O Espaço Cultural foi criado no dia 14 de novembro de 2014, data do centenário do Palácio dos Correios. A inauguração foi marcada pela exposição “Djanira – cronista de ritos, pintora de costumes”, com a exibição de 120 obras da artista, pertencentes ao acervo do Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro.

No primeiro pavimento do prédio o Espaço Cultural dispõe de duas salas de exposição e uma sala para oficinas. No segundo pavimento há mais quatro salas de exposição, a sala histórica e um auditório que possibilita a realização de eventos de música, humanidades, audiovisual e seminários.

Confira as plantas baixas do Espaço Cultural Correios de Niterói: Planta 01, Planta 02.

 

Programação

EXPOSIÇÕES

BONEQUINHO

Produtor de arte Luiz Sisinno mostra suas imagens que ganharam fama em redes sociais.

São imagens que desafiam o convencional e jogam com "o febril poder das selfies" - no dizer do próprio autor, o produtor de arte Luiz Sisinno. Assim é o projeto fotográfico realizado ao longo dos últimos quatro anos no Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Paris, Londres e Lisboa. Todas em cenas protagonizadas pelo "Bonequinho", personagem-título da mostra, na verdade um rapaz estático e sério, mas cheio de força e expressão ao interagir com atrações turísticas, obras de arte e paisagens vibrantes. Com curadoria de João Luiz Vieira, professor de cinema da Universidade Federal Fluminense (UFF) e doutor em Estudos Cinematográficos pela New York University, a mostra ficará em cartaz de 7 de agosto a 23 de setembro no Espaço Cultural dos Correios de Niterói, no Centro, com entrada franca.

O curador da mostra, João Luiz Vieira, diz que acompanhar os deslocamentos do Bonequinho é compartilhar um passeio virtual por lugares familiares de circuitos turísticos tradicionais e participar de uma imersão diferente. "É o encontro entre o nosso olhar e o imaginário aberto pelas relações entre figura e fundo, personagem e ambientes, obras de arte e paisagens diversas. Uma concepção de imersão em um universo de paisagens evocativas de fantasias e sentimentos", destaca.

Com apenas um smartphone, acrescenta o autor da exposição, é possível criar uma obra artística e envolver olhares diversos. "Essa rapidez da tecnologia me atrai muito, pois consigo, de forma simples, manter um diálogo artístico que independe de muitos recursos”, completa Luiz, que é formado em Cinema pela UFF e Mestre em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Ele trabalha como produtor de arte da Rede Globo há 15 anos. Na Rede Globo atuou na produção de arte em apresentações como O Auto da Compadecida, Chiquinha Gonzaga, O Clone, Coração de Estudante, Sabor da Paixão, Sítio do Picapau Amarelo, Toma Lá Dá Cá, A Vida Alheia, O Dentista Mascarado, O Caçador e Tá no Ar.

Serviço:
Título: “Bonequinho”
Artista: Luiz Claudio Sisinno
Curadoria: João Luiz Vieira
Visitação: 7 de agosto a 23 de setembro - de segunda a sábado, das 11h às 18h. Exceto feriados. Entrada Franca.
Local: Espaço Cultural Correios Niterói
Rua Visconde do Rio Branco, nº 481 - Centro.
Fone:  (21) 2622 -3200 / 2621-1161.
facebook.com/obonequinho
instagram.com/Luizsisinno 


Exposição “(r)existências”


Em “(r)existências" o artista contesta padrões e barreiras em sua primeira exposição individual em Niterói


Misturando diversas técnicas, cores, texturas e sensações, o artista Daniel Mazza realiza, a partir do dia 1º de julho, no Espaço Cultural Correios, sua primeira exposição individual em Niterói. “(r)existências” já esteve em cartaz no Rio, no Centro Cultural Oduvaldo Vianna Filho, o Castelinho do Flamengo, e chega agora à cidade onde o artista cresceu. Ator, autor, poeta, jornalista, Mazza mostra sua faceta de artista visual questionador e com fascínio pela experimentação, pela busca. Mudar sempre fez parte da sua essência.
 
Ao todo são 15 trabalhos, resultantes de mais de 15 anos de muitas experimentações. As peças, todas abstratas, rompem com as barreiras conceituais, estéticas e com os limites físicos da tela, resistindo aos tempos sombrios que estamos vivendo com muita cor e criatividade. Mazza destaca a tela "O olho que tudo vê também chora" como uma das mais significativas, pois foi a partir dela que muitos trabalhos da exposição surgiram. “O quadro a princípio me dava uma ideia de camisa de força, de algo que nos prende, como conceitos sociais historicamente enraizados. Ela traz a tentativa de romper com essas regras que moldam as ações dos indivíduos, que limitam o pensamento e geram tantos preconceitos”, observa. Segundo o artista, a mostra “reflete as diferentes formas de vida, as infinitas possibilidades de escolha, a resistência à hegemonia de conceitos tacanhos e que nos diminuem na nossa capacidade de ser”.
 
Perguntado sobre o que o público pode encontrar no Espaço Cultural Correios de Niterói até o dia 9 de setembro, Mazza acredita que “as pessoas podem se deparar com diferentes sensações: encantamento e reflexão, experimentação e processo, certezas e dúvidas, poesia e ressignificação.
 
SERVIÇO:
Exposição: ‘(r)existências’
Artista: Daniel Mazza
Curadoria: Layla Waltenberg
Abertura: 01 de julho de 2017 – às 16 horas
Exibição: 03 de julho a 09 de setembro de 2017
Local:  Palácio dos Correios
Av. Visconde do Rio Branco, 481 - Centro
24020-004 - Niterói - RJ
Tel.: (21) 2622-3200 / 2621-1161


CICATRIZES URBANAS

Chega a Niterói após passar por Belo Horizonte e Aracaju

 

A mostra Cicatrizes Urbanas, do artista Roberto Müller, após passar por Belo Horizonte e Aracaju, chega agora em Niterói, no Espaço Cultural Correios, e apresenta uma seleção de aproximadamente 20 objetos, incluindo trabalhos recentes e inéditos.

A mostra, que fica em exibição até o dia 26 de agosto, explora situações cotidianas, relatos e fatos comuns ao indivíduo, observados e aqui traduzidos em outra roupagem.

A pesquisa de Roberto Müller é baseada no estabelecimento de relações, tendo o pensamento por associação como um dos principais recursos, além da relação entre as palavras e a presença de textos. O artista se apropria de questões e atravessamentos sociais, políticos e culturais, aqui reconfigurados na forma de objetos. 

Assim, citações, imagens e utilização de materiais corriqueiros são ressignificados para além de simples objetos do cotidiano e tornam-se materiais apurados.

Roberto Müller, natural de São Paulo, Vive e trabalha no Rio de Janeiro. Formado em Arquitetura pela Universidade Santa Úrsula – RJ; já realizou diversas exposições coletivas e individuais desde 2011; tendo nestas mostras recebido algumas premiações.

SERVIÇO:
Exposição:
'Cicatrizes Urbanas
Artista:
Roberto Müller
Abertura: 23 de junho de 2017 – às 15 horas
Exibição: 24 de junho a 26 de agosto de 2017
Local:
Palácio dos Correios
Av. Visconde do Rio Branco, 481 - Centro
24020-004 - Niterói - RJ
Tel.: (21) 2622-3200 / 2621-1161


TEATRO

CONFISSÕES DE ADOLESCENTE
LEITURA DRAMATIZADA

 

 Projeto:  Apresentação da leitura dramatizada de Confissões de adolescente na cidade de Niterói/RJ


Confissões de Adolescente” foi apresentada pela primeira vez no Ciclo de Leituras Dramatizadas organizado pela ATACEN no Solar do Jambeiro, sendo a única leitura na história dos ciclos com duas sessões. O sucesso rendeu um convite para inauguração de um projeto cultural no bar Engenho do Pão, em Itaipu (Niterói) e um convite para apresentação no colégio Centro Educacional de Niterói. 
O projeto foi uma iniciativa da diretora Cristina Fracho com o intuito de atingir os jovens utilizando um elenco jovem, facilitando, desta maneira, uma melhor aproximação com o público-alvo. Sendo o texto escolhido com uma linguagem acessível e atual, o projeto visa a identificação do público adolescente com as situações vividas pelas personagens e o estreitamento da relação pais e filhos, facilitando o diálogo sobre questões pertinentes à idade. 


Sinopse:
A peça conta situações registradas em um diário de uma adolescente entre seus 13 e 18 anos, abordando temas como drogas, perda da virgindade, relação com os pais, aborto, morte, dentre outros. 

Serviço:

Elenco: Camilla Ferrolla, Juliana Carrano, Luiza Boldrine e Yanne Valente
Direção: Cristina Fracho
Direção musical: Juan Paz
Apresentações: todos os sábados de agosto de 2017 (05,12,19 e 26/08) -  às 16h
Local: Espaço Cultural Correios Niterói - Palácio dos Correios
Endereço: Av. Visconde do Rio Branco, 481 - Centro / 24020-004 - Niterói - RJ
Tel.: (21) 2622-3200 / 2621-1161


Espaço Cultural Niterói

Localização:
Espaço Cultural Correios
Av. Visconde do Rio Brando, 481 - Centro
24020-004 - Niterói - RJ
Telefone: 0XX 21 2622-3200
e-mail: rjeccniteroi@correios.com.br

Visitação:
De segunda-feira a sábado, das 11h às18h (exceto feriados).
Entrada franca.